quinta-feira, 18 de junho de 2015

Estupitização coletiva




Por Pedro César Batista
A decisão da Comissão da Câmara dos Deputados, ao aprovar a redução da maioridade penal, não é isolada. Faz parte de um conjunto de ações desenvolvidas em todo o mundo para tornar as pessoas cada vez mais agressivas, desumanas, alheias a solidariedade e incapazes de se indignar diante de injustiças e de compreender as verdadeiras causas do crescimento da violência.
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, cumpre um papel determinado, como comprova sua trajetória, em manipular os fatos, criando “cunhas” para confundir a realidade, passando a ideia de um justiceiro, quando não passa de um serviçal dos responsáveis pela concentração de riquezas, manipulação de informações e propagandistas da morte, medo e da violência.
A grande imprensa, propriedade dos mesmos que controlam a maioria dos parlamentares, segue manipulando informações, mentindo, tergiversando os fatos, criando culturas que propagam a agressividade, o egoísmo, o consumo e o medo. Negam a importância da política na história da humanidade com uma desfaçatez assustadora, formando massas que repetem sem pensar o que escutam e veem em telas coloridas que ocupam salas, cozinhas, quartos e mentes em todos os lugares. 
No passado a igreja propagava a caridade, oriunda da prática da nobreza em dar esmolas aos mais necessitados, contrapondo-se aos revolucionários que secularmente praticam a solidariedade de classe, para poder enfrentar o poder, os exércitos, policiais, pistoleiros e a violência dos poderosos. Surgiram até cultos da prosperidade, incentivando o consumo e a prática desesperada para ter bens e usar todos os meios para ser melhores e mais ricos que os outros, enquanto os pastores mais e mais enriquecem sustentados por seus rebanhos – verdadeiros rebanhos.
Nesse contexto, a posição predominante de parlamentares que respondem por assassinatos, é sintomática já que são ligados a setores que acumularam enormes riquezas graças a prática da violência e da mentira. Isso simboliza que há uma sintonia entre os parlamentares e os donos do poder com o que tem sido imposto a população no mundo, criando verdadeiras massas embrutecidas, que não são capazes de respeitar os mais idosos, as grávidas, nem crianças, aplaudindo quando ocorre um linchamento e quando se leva mais um ao cadafalso. Os controladores do mundo formam estúpidos e idiotas em larga escala.
Se a estupidização tem sido massiva, por outro lado, falta a retomada das ações, como escrito por Clodomir Santos de Morais, em larga escala para a formação e organização política revolucionária, indicando às condições objetivas para enfrentar o poder criminoso da burguesia que controla o mundo.

Não quero, nunca, mesmo depois de morto, ser acusado de ter sido um estupidizado, seja alienado pelo capital, ou um sectário, com discurso de esquerda, distante das ações que poderão levar a retomada de utopias e a formação de pessoas mais justas e verdadeiramente humanas. Em cada ato, palavra e sonho importa seguir caminhando para enfrentar essa onda de estupidez que se propaga.

0 comentários:

Editado por iMaque - Soluções em Sustentabilidade