sexta-feira, 27 de maio de 2011

A matança continua, mais um líder camponês assassinado, hoje em Rondônia

A matança ainda permanece. Na terça assassinaram Zé Cláudio e sua esposa, Maria, em Nova Ipixuna, Pará. Hoje pela manhã no centro comercial de Vista alegre do Abunã, o sobrevivente do massacre de Corumbiara,ong um dos líderes do Movimento Camponês Corumbiará, Adelino Ramos, o Dinho, foi assassinado com cindo tiros. Passaram-se oito de governo Lula e anteriormente oito anos do governo FHC, ambos auto-intitulados sociais-democratas, o primeiro oriundo do movimento sindical e o segundo nos meios intelectuais. E a matança não para. Muito pelo contrário, o escárnio dos deputados ruralistas quando foi denunciado na Tribuna da Câmara dos DEputados o duplo assassina ocorrido no Para comprova a certeza que assassinos e mandantes têm da impunidade.

Discursos são realizados, passeatas e promessas que a Polícia Federal vai atuar. Assim tem sido há décadas. Eu mesmo me reuni com o então ministro da Justiça,. Oscar Dias Correa, em janeiro de 1989, um mês após o assassinato de meu irmão, João Carlos Batista, e se passaram quase 23 anos e os mandantes continuam dando gargalhadas no Congresso Nacional.
Esses governos sociais democratas somente atuarão com pressão popular, com o povo nas ruas. A violência que se abate no campo contra as lideranças camponesas tem como combustível a violência e a conivência de agentes públicos, nos três poderes: Executivo, Legislativo e no Judiciário. Não bastam discursos é hora da população brasileira dar um basta a todas as formas de violência, exigindo terra para quem nela vive, com o fim da propriedade predadora, que somente se sustenta na destruição de vidas e da natureza (PCB).

Veja abaixo a nota do Tudo Rondônia

http://www.tudorondonia.com.br/noticias/lider-campones-e-assassinado-em-rondonia,22131.shtml

Rondônia: Pistoleiro acusado de matar membro do MCC já havia assassinado outra liderança de trabalhadores rurais

27/05/2011 - 15h26min

Dinho era sobrevivente do Massacre de Corumbiara, quando sem-terras e policiais militares entraram em confronto naquele município, resultando em mortes de ambos os lados.

Da reportagem do TUDORONDONIA


Porto Velho, Rondônia - Chama-se “Ozias” o acusado de ter assassinado, na manhã desta sexta-feira, em Vista Alegre do Abunã, o trabalhador rural Adelino Ramos, o Dinho, líder do Movimento Camponês Corumbiara. Dinho foi morto com cinco tiros em pleno centro comercial de Vista Alegre, já na região de Lábrea (AM). Ele ainda chegou a ser levado para o Hospital Regional de Extrema, na divisa de Rondônia com o Acre, mas não resistiu aos ferimentos. Ozias já havia sido acusado de matar outro líder de trabalhadores rurais, conhecido por Genésio. A polícia não conseguiu prendê-lo porque ele – que conhece bem a região – embrenhou-se na floresta. Dinho era sobrevivente do Massacre de Corumbiara, quando sem-terras e policiais militares entraram em confronto naquele município, resultando em mortes de ambos os lados

0 comentários:

Editado por iMaque - Soluções em Sustentabilidade