quarta-feira, 28 de abril de 2010

"Belém do Pará, uma das metrópoles da Amazônia brasileira, 1988"

Um advogado ativista da Reforma Agrária, eleito deputado, é assassinado a tiros ao chegar à casa, na presença da mulher e dos filhos. As causas que ele defendia continuam vivas e ele sempre lembrado, embora outras pessoas continuem a morrer. Ele é a causa, contada num livro lançado durante o Fórum Social Mundial, que pode virar um filme. As pessoas morrem, as causas não.

João Batista, o Mártir da luta pela Reforma Agrária - violência e impunidade no Pará

A verdade por detrás de um crime aparentemente resolvido, os bastidores de um assassinato, baseados em documentos e relatos feitos por testemunhas e envolvidos. Os registros da imprensa da época. Outros líderes, amigos e companheiros da vítima, vão sendo mortos, paulatinamente, mas os que estão vivos nunca desistem, passados mais de 21 anos, de ver o crime esclarecido. Não foi o primeiro caso com as mesmas nuances, e infelizmente também não foi o último. A matança de quem denuncia o poder paralelo na Amazônia continua até aos dias de hoje. O livro é quase um "CSI" do caso. Lê-lo é manter viva esta investigação. Alguns amigos de João Batista investigaram-na pessoalmente na época.

A vítima desta história é o advogado e deputado João Carlos Batista, líder na causa da Reforma Agrária no Pará, morto a tiros em Belém, na presença da esposa e dos filhos, em Dez/1988. Os assassinos e mandantes, aldrabando fatos e leis, praticando queimas de arquivo, inclusive, obtiveram a justiça que queriam, com a conivência de representantes do poder político regional. Alguns dos culpados são hoje considerados homens de bem pela sociedade paraense e muitos já votaram neles inocentemente. Os nomes estão escritos no livro com todas as letras e esses nomes têm rosto.

No dia 1º de Maio de 2010 o povo lembra o herói e se manifesta nas cidades de Mãe do Rio, Aurora e Ipixuna, no Estado do Pará, Brasil. O livro está presente e traz mais uma vez àquelas comunidades a recordação da infância, adolescência e vida política de João Batista. O irmão e autor do livro, o jornalista Pedro César Batista, conta generosamente a trajetória da família paulista que migrou de São Paulo e fincou na Amazônia novas raízes.

O livro remonta também a formação da personalidade de um herói. Um menino pobre numa família unida onde educar os filhos é mais importante do que sobreviver. Um filho e irmão, numa família que sofreu, venceu e encetou novas lutas. Uma história onde qualquer espectador pode reconhecer-se e encontrar pontos em comum. Ler o livro é uma maneira de reviver a história da personagem e a investigação do crime que a interrompeu, com um olhar atual e questionador da justiça, quanto ao caso João Batista e de outros assassinatos não punidos, como das injustiças que testemunhamos diariamente, simbolizadas nesse crime.

No Brasil, na Europa e nos Estados Unidos, três produtores/diretores de cinema recebem uma primeira sinopse, devidamente traduzida. O livro está sendo adaptado cuidadosamente para o cinema. Os diálogos deverão ser todos colocados em língua portuguesa. A história de João Batista continua...

Ana Lúcia Araújo

http://analuciaaraujo.bloguepessoal.com

0 comentários:

Editado por iMaque - Soluções em Sustentabilidade