sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Três golpes, uma ameaça e quatro respostas



A história é cruel. Um quadro semelhante na Alemanha, na década de 1930, fez com que a humanidade enfrentasse o nazifascismo, que deixou um saldo entre 40 milhões e 60 milhões de mortos. O fascista na presidência não esconde seus heróis, sonhos e projetos.

Por Pedro César Batista

Os EUA, com ação direta de sua embaixadora Liliana Ayaldes, coordenou as ações em Honduras, Paraguai e Brasil para que ocorressem os golpes que derrubaram os presidentes desses países. Na Venezuela seguem atuando para derrubar o governo de Nicolás Maduro.

Em Honduras, dia 28 de junho de 2009, cerca de 250 militares sequestraram o presidente Manuel Zelaya. “Eles entraram na minha casa na madrugada, sem mandato de busca, sem nenhuma demanda. Entraram violentamente, na bala, arrombando tudo e me levaram”, conta o ex-presidente. (1)



No Paraguai, em 22 de junho de 2012, o senado cassou o presidente Lugo em um processo relâmpago, colocando em seu lugar o vice-presidente, que iniciou o desmonte das políticas governamentais em curso. O golpe foi executado em menos de 24 horas. (2)

No Brasil, em 31 de agosto de 2016, após uma longa campanha midiática, que consolidou um discurso antigoverno, contra o PT e a esquerda, com o apoio do judiciário e do parlamento, a presidenta Dilma Roussef foi cassada. Em seu lugar assumiu o vice-presidente, que iniciou o desmonte das políticas sociais.

Na Venezuela, dede 2002, quando sequestraram o presidente Hugo Chaves, vem tentando derrubar o governo e manter o controle do país que tem a maior reserva petrolífera no mundo. Após a posse de Nicolás Maduro, em 10 de janeiro de 2019, os EUA indicaram um “presidente” títere, que passou a responder diretamente a Washington, realizando provocações, pedindo que os países vizinhos invadissem a terra de Bolívar. E seguem em uma campanha midiática criminosa, recheada de mentiras, ameaças e realizando um cruel bloqueio econômico nesse país, sequestrando as reservas em ouro e as divisas depositadas no exterior. (3)

Assim os EUA têm agido na América Latina e Caribe nos últimos anos, sem falar o criminoso bloqueio que executam há 60 anos contra Cuba, além das ditaduras que financiaram e sustentaram por décadas na região.

Em Honduras há unidade e resistência contínua nas ruas. O que levou os EUA a desembarcarem os marines neste pequeno país. Ainda assim o povo segue em combate, mostrando unidade, disposição e coragem.



No Paraguai há luta. O povo conseguiu fazer o atual presidente, lacaio dos EUA, cancelar o contrato que estava fazendo com o serviçal estadunidense brasileiro. Dariam um golpe bilionário no país, roubando a energia de Itaipu. E o povo segue nas ruas. Diariamente tem mobilização. Recentemente camponeses pegaram em armas para derrubar os golpistas lacaios dos EUA.

No Brasil, a juventude, professores e outros setores tem saído às ruas, como a Marcha das Margaridas. Cada organização política de oposição busca se aliar com quem tem aproximação, sem ocorrer uma unidade das forças que sofrem um contínuo ataque ´por parte do fascista que assumiu a presidência. Direitos, ameaças, desmonte da economia e do patrimônio nacional e provocações xenofóbicas, nazistas e racistas têm sido realizadas. Ainda assim não há unidade para exigir o Fora Bolsonaro e novas eleições, nem para exigir a liberdade para Lula, mesmo depois de comprovada a farsa e crimes praticados por Sérgio Moro e Dalagnol, durante a Operação Lava-Jato, que atendeu os interesses diretos da CIA. (4)

Na Venezuela há uma disposição e unidade das massas, forças armadas e proletariado na defesa da revolução, bolivariana; em Honduras há disposição, mobilização e resistência contra os lacaios dos EUA; no Paraguai acompanhamos as mobilizações unitárias, que tem claro quem é o inimigo da nação e do povo desse país.

O que está faltando para que as forças populares, democráticas, progressistas e de esquerda brasileira construam uma unidade contra a política imperialista, que comanda o lacaio que está no governo? O que está faltando para se forjar a unidade em torno das palavras de ordem:

Fora Bolsonaro!

Novas eleições já!

Liberdade para Lula!

Revogação de todas as medidas contra o povo brasileiro!

O que falta?

A história é cruel. Um quadro semelhante na Alemanha, na década de 1930, fez com que a humanidade enfrentasse o nazifascismo, que deixou um saldo entre 40 milhões e 60 milhões de mortos. O fascista na presidência não esconde seus heróis, sonhos e projetos.

https://gz.diarioliberdade.org/america-latina/item/157240-manuel-zelaya-golpe-contra-mim-iniciou-a-restauracao-conservadora-na-america-latina.html
https://www.cartacapital.com.br/mundo/impeachment-de-fernando-lugo-foi-sim-um-golpe/
https://www.brasildefato.com.br/2019/05/09/sancoes-dos-eua-arrasaram-venezuela-e-mataram-40-mil-desde-2017-aponta-relatorio/
https://theintercept.com/2019/06/09/editorial-chats-telegram-lava-jato-moro/

0 comentários:

Editado por iMaque - Soluções em Sustentabilidade